Últimas
Produtor da notícia

Praça da República entra na História

26 de Setembro de 2012, 08:25

Hoje, as atenções de todos os angolanos estão viradas para a Praça da República, em Luanda, onde “sob o olhar silencioso de Agostinho Neto”, o Presidente e o Vice-Presidente da República eleitos nas eleições de 31 de Agosto tomam posse, ao fim da manhã.

Todas as condições estão criadas para que a cerimónia solene, a ser dirigida pelo presidente do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira, decorra sem sobressaltos e que José Eduardo dos Santos e Manuel Domingos Vicente possam fazer o juramento, cumprindo assim o que estabelece o artigo 115º da Constituição da República.

O dia de ontem foi reservado aos últimos acertos para a cerimónia que deve contar com a presença de centenas de pessoas, entre governantes, dirigentes partidários, representantes do corpo diplomático e de igrejas acreditadas no país.

Na segunda-feira, a equipa encarregue da montagem do equipamento de som terminava o seu trabalho na Praça da República.

António Paiva, responsável da empresa contratada, adiantou ao Jornal de Angola que estavam garantidos 150 mil watts de potência de som que devem ser distribuídos pelos 18 hectares que compreendem a Praça da República. António Paiva informou ainda que o trabalho de montagem de som começou no sábado e envolveu 35 pessoas.

Ainda na segunda-feira, as estações de rádio e televisão também faziam, antecipadamente, a montagem dos seus equipamentos, ao mesmo tempo que se informavam do local de posicionamento dos seus operadores. A segurança já avisou que não vai permitir muitas movimentações por parte dos jornalistas, porque quer garantir um acto ordeiro. O vice-governador de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, assegurou que os habitantes da capital farão tudo para dignificar o acto. No programa da cerimónia de investidura do Presidente e Vice-Presidente da República está inscrito um desfile de efectivos das Forças Armadas Angolanas defronte ao Memorial Dr. António Agostinho Neto, num percurso de 500 metros.

Na parte externa do memorial existe uma tribuna com 1.979 lugares. É no centro desta tribuna que o Presidente e o Vice-Presidente eleitos juram desempenhar com toda a dedicação as funções de que são investidos e “cumprir e fazer cumprir a Constituição da República de Angola e as leis do país”.

O local da festa

O Memorial Dr. António Agostinho Neto foi inaugurado no dia 17 deste mês pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Com um parque de estacionamento para mais de 300 viaturas, o memorial foi erguido em homenagem ao primeiro Presidente da República, nascido a 17 de Setembro de 1922, em Kaxicane, região de Icolo e Bengo, na província de Luanda, e faleceu a 10 de Setembro de 1979, em Moscovo (ex-URSS), por doença.

O memorial, cujas obras foram iniciadas em Setembro de 1982 e posteriormente interrompidas devido à guerra, é um espaço histórico-cultural que homenageia e retrata a história do primeiro Presidente de Angola, antes e após a independência do país. Com uma área total de 18 hectares, tem um bloco central, que abriga o sarcófago, onde repousam os restos mortais de Agostinho Neto, um museu, galeria de exposição, salas multiuso, biblioteca, biblioteca multimédia, videoteca, centro de documentação e administração.

Na ala esquerda (para quem entra para o parque) encontra-se uma galeria para exposição, oficinas de artesanato e grafismo, cafetaria e instalações sanitárias.

Banca de jornais

Rádios Online
Angola vai a votos
Saiba onde votar