Últimas
Produtor da notícia

Ministra da Comunicação Social elogia desempenho dos jornalistas na cobertura eleitoral

04 de Setembro de 2012, 19:11

A ministra da Comunicação Social, Carolina Cerqueira, elogiou nesta terça-feira, na capital do país, o desempenho dos jornalistas no âmbito da cobertura eleitoral, bem como o reforço do trabalho de cobertura levado a cabo pelos adidos de imprensa e correspondentes que vieram ao país para prestar o seu contributo.

Durante um encontro com jornalistas nacionais, estrangeiros, adidos de imprensa e correspondentes, que decorreu no Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM), a ministra manifestou a sua satisfação pelo trabalho e espírito de sacrifício na cobertura das eleições, congratulando-se pelo facto de os jornalistas o terem feito com responsabilidade.

“Saúdo todos os jornalistas e particularmente os adidos e correspondentes que vieram propositadamente para participar no processo eleitoral, assim como para reforçar o trabalho de cobertura das eleições de 31 de Agosto”, disse.

Por outro lado, referiu que o CIAM tem dado o apoio necessário aos jornalistas nacionais e internacionais graças às condições de trabalho disponíveis para levar a cabo uma cobertura eficaz.

 “Foi uma oportunidade singular que todos tiveram de acompanhar de perto este momento histórico que o nosso país viveu, pois foram eleições que marcaram sem dúvida a história de Angola no círculo da vida política do país”, sublinhou a ministra.

Carolina Cerqueira disse ainda que a forma ordeira e civilizada das manifestações cívicas, engajamento e empenho de jovens no processo eleitoral, deram mostras que efectivamente o povo angolano esteve convicto do importante papel que as eleições representaram para o país.

Enalteceu de igual modo a participação feminina no pleito de 31 de Agosto, que deram o seu contributo nas várias áreas, designadamente assembleias e mesas de voto, assim como observadoras eleitorais.

Disse ainda que existe um número significativo de mulheres, candidatas à deputadas da bancada parlamentar do MPLA, graças às orientações cumpridas pelo partido no que toca à paridade entre homens e mulheres na representatividade da Assembleia Nacional (AN).

Banca de jornais

Rádios Online
Angola vai a votos
Saiba onde votar